A história do empreendedor Abilio Diniz e a doceria Pão de Açúcar

Abilio-Diniz

Abilio Diniz tem 82 anos, é presidente do Conselho de Administração da BRF e dono de 12% do Carrefour Brasil. Foi sócio do antigo Grupo Pão de Açúcar, hoje Companhia Brasileira de Distribuição, que inclui as bandeiras de Varejo Alimentar, Pão de Açúcar e Extra, de Atacarejo, Assaí e de Eletro, Ponto Frio. Também foi sócio majoritário das Casas Bahia. Listado em 2016 entre os 70 maiores bilionários do Brasil pela revista Forbes, mas já chegou a estar em oitavo na lista. Conheça agora a história do empreendedor Abilio Diniz, esse mega-empresário brasileiro.

Quando o Pão de Açúcar era só uma doceria

Fundada há quase 70 anos, a Doceria Pão de Açúcar foi fundada em São Paulo, em homenagem à paisagem que seu fundador, o pai de Abilio Diniz, avistou ao chegar ao Brasil, vindo de Portugal. Só que ele só chegaria a entrar na empresa do pai quase 10 anos mais tarde, antes disso, Abilio Diniz dividia seu tempo entre os estudos e os esportes, durante a juventude. Formou-se em Administração de Empresas, pela Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo. Finalizado o curso de administração, Abilio pensou em trabalhar em uma multinacional ou continuar seus estudos de pós-graduação nos Estados Unidos. Chegou a fazer exames para a universidade de Michigan, mas quando já estava de malas prontas, seu pai lhe propôs a abertura de um supermercado.
Abilio refez seus planos, assumiu um cargo como gerente de vendas na empresa e encabeçou o projeto de implantação do primeiro supermercado Pão de Açúcar, inaugurado em 1959. Nove anos mais tarde, o Pão de Açúcar já contava com 40 supermercados e 1.642 funcionários e Abilio se firmara como um destacado executivo da empresa, jovem e empreendedor.

Uma crise nos anos 80 e 90

No fim dos anos 80, Abilio Diniz enfrentou uma tensão familiar pela disputa de sucessão na empresa, que só teve fim em 1994, quando foi assinado o acordo que garantiu o controle da companhia para Abilio. Isso juntamente com a recessão provocada pelos planos econômicos da época, levaram a empresa a se reestruturar, incluindo o fechamento de um terço das lojas deficitárias e demissão de 22.700 funcionários. O Grupo Pão de Açúcar quase chegou à falência, na época.
Cinco anos mais tarde, a companhia inovou e lançou o primeiro supermercado virtual do país, o Pão de Açúcar Delivery. Em seguida, o GPA faz sua oferta pública inicial de ações (IPO), na qual obteve US$ 112,1 milhões. Essa foi a primeira emissão de ações preferenciais de uma companhia varejista de alimentos na Bovespa. Ainda, dois anos mais tarde, foram captados US$ 172,5 milhões na Bolsa de Nova York. A CBD foi a primeira empresa varejista brasileira a listar ADRs (American Depositary Receipt, que são recibos de ações emitidos nos EUA para negociar ações de empresas de fora do país) em Nova York.
Nesse período, Abilio Diniz foi condenado a um ano e quatro meses de prisão por realizar uma operação de empréstimo considerada ilegal entre duas empresas do grupo. O empresário recorreu da decisão e foi absolvido.

Uns sonham com o sucesso. Nós acordamos cedo e trabalhamos duro para consegui-lo.

– Abilio Diniz em um post no seu blog, em 2011.

Um gigante no cenário brasileiro e a disputa com os franceses.

A história do empreendedor Abilio Diniz não iria desacelerar tão cedo. Depois dessas aberturas nas bolsas, o Pão de Açúcar deu um gás em seus planos de expansão, adquire vários supermercados de bairros, voltados a classes populares. Em 1999, o grupo francês Casino assume 24% do capital votante do grupo. Em 2000, o empresário iniciou um novo processo de reengenharia da Companhia Brasileira de Distribuição e assumiu a liderança no ranking das maiores redes de varejo do país.
Em busca da profissionalização, Abilio abriu mão da presidência executiva do Grupo em 2003 e passou a exercer a função de presidente do Conselho de Administração do Grupo. Em 2005, foi criada uma nova holding. Com isso, o controle do Grupo passou a ser compartilhado de forma igualitária (50% para cada um) entre Abilio Diniz e o Grupo Casino.
Em abril de 2013, Abilio assumiu a presidência do Conselho de Administração da BRF (Antiga Brasil Foods, é um conglomerado brasileiro do ramo alimentício, que surgiu através da fusão das ações da Sadia ao capital social da Perdigão) e, em setembro do mesmo ano, deixou a presidência do Conselho de Administração do Grupo Pão de Açúcar. Desde a sua saída oficial do grupo, Abilio e seus familiares venderam as ações que possuíam no GPA.
Um ano mais tarde, no final de 2014, Diniz anunciou a compra de 10% das operações da unidade brasileira do Carrefour por 525 milhões de euros (R$ 1,8 bilhão). A operação marca a volta de Abilio Diniz ao varejo – e ele passará a concorrer diretamente com Jean-Charles Naouri, presidente do Casino e atual controlador do Grupo Pão de Açúcar (GPA). No começo 2016, Abilio Diniz foi nomeado membro do Conselho de Administração do Grupo Carrefour.

Por que meus amigos do 3G (de Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira) se dão bem em tudo que fazem? Eles têm gestão.

– Diniz numa entrevista para a EXAME, em 2013.

O que podemos aprender com a história do empreendedor Abilio Diniz?

Que se ele não tivesse tido uma base sólida em administração lá no começo, dificilmente seria capaz de manipular tantas operações complexas no mercado financeiro. A formação em administração e os posteriores estudos lá fora garantiram a ele conhecimentos valiosos sobre como administrar uma empresa. Por isso, na Aldeia, apoiamos realizadores a tirarem suas ideias do papel e facilitamos cursos livres pra que isso aconteça.

Related Articles