Como empreender: Guia completo sobre empreendedorismo criativo

Entenda tudo sobre empreendedorismo criativo e economia criativa!

O empreendedorismo criativo é uma área que cresce cada vez mais. As mudanças na economia são responsáveis pela popularidade desse ramo. Não é à toa que muitos profissionais estão querendo ingressar nele.

No entanto, a maior parte tem receio, tendo em vista que não conhecem esse setor a fundo. Afinal, são muitos elementos que precisam ser analisados. Só assim é possível ter total noção do que um empreendedor que trabalha com criação faz.

Foi pensando nisso que nós preparamos esse guia. Aqui, você vai conhecer tudo sobre o empreendedorismo criativo. Veja o que é necessário ter para atuar nessa área e quais são os maiores desafios a serem enfrentados. 

Acompanhe a leitura:

  1. O que é empreendedorismo criativo?
  2. Empreendedorismo criativo dentro das empresas
  3. Os principais desafios do empreendedorismo criativo
  4. Quais as características de um empreendedor criativo?
  5. Vagas na economia criativa
  6. Salários na economia criativa
  7. Empreendedorismo feminino: o crescimento e a importância das mulheres no setor
  8. Como ser um empreendedor criativo?
  9. Como aprender sobre empreendedorismo criativo?
  10. Cursos de empreendedorismo criativo
  11. Livros sobre empreendedorismo e economia criativa
  12. Eventos sobre liderança e gestão de pessoas em 2021
  13. Principais comunidades e grupos sobre liderança e gestão de pessoas

O que é empreendedorismo criativo?

“O empreendedor é alguém versátil, que possui habilidades técnicas para saber produzir, e capitalistas ao reunir recursos financeiros, organizar as operações internas e realizar as vendas de sua empresa.” – Joseph Schumpeter

É com essa citação que começamos a falar sobre essa área tão importante. O empreendedor criativo é aquele que vê além dos lucros. Ele se difere do tradicional exatamente pela sua motivação. 

Assim, ele vai trabalhar em cima de aspirações mais profundas. Sempre levando em conta valores e objetivos de vida. Com isso, quem atua dentro do ramo da criatividade investe naquilo que desperta paixão. Claro, em busca de realização pessoal e retorno financeiro.

Desse modo, o empreendedorismo criativo é a união da paixão com o lucro. Nenhum desses dois elementos pode ficar de fora. Caso contrário, essa especialidade não estará completa.

O consultor Ken Robinson foi um especialista na área e definiu esse ramo muito bem. Ele usou apenas 3 palavras. Elas são, imaginação, inovação e criatividade. A primeira é a fonte de tudo. 

A segunda, é como se coloca as ideias interessantes em prática. Já a última palavra é quando se usa as duas primeiras e constrói um produto ou serviço.

Empreendedorismo criativo dentro das empresas

A economia criativa foi um termo inventado pelo consultor inglês John Howkins. Ele é o autor do livro com o mesmo nome. Esse autor acredita que o mundo está passando por um novo esquema de economia. 

Assim, nele, as pessoas querem ganhar dinheiro usando o cérebro. Dessa forma, não precisam de muito capital ou terras para começar a trabalhar. Em resumo, John traz à tona uma realidade onde os profissionais querem liberdade para colocar para fora suas verdadeiras paixões. 

Seja um designer ou pintor, não importa. O ramo da criatividade é imenso e cheio de oportunidades. Então, só para você ter uma boa noção disso, vamos falar sobre o Brasil. A economia criativa no país é composta por cerca de 52 mil companhias. 

Desse modo, elas detêm 87,6% dos negócios e empregam, cada, até 19 funcionários. Além disso, 70,2% dessas empresas contratam pessoas com até 39 anos de idade. Isso só comprova que esse ramo é enorme e tem tudo para crescer mais ainda. 

Os principais desafios do empreendedorismo criativo

Desafios do empreendedorismo criativo

O empreendedorismo por si só já é uma área cheia de obstáculos. Agora, quem trabalha com a parte criativa, lida com esses e outros mais. Como essa é uma profissão que veio para romper barreiras, as coisas nem sempre são fáceis. 

Portanto, conheça os 6 principais desafios que você precisa enfrentar caso opte por esse ramo de atuação. Ao mesmo tempo, entenda como é possível superar esses dilemas.

1- A linguagem do empreendedorismo

O empreendedorismo tradicional traz uma bagagem muito grande de conceitos e termos complexos. Então, são palavras “estranhas” como ROI, turnover, KPI e por aí vai. Logo, quem trabalha com criatividade fica um pouco confuso com tudo isso. 

Afinal, esse tipo de linguagem não fazia parte do seu dia a dia. Agora, não fique assustado (a). Com o tempo, é possível se adaptar a tudo isso. 

Uma dica é usar a própria criatividade para descobrir formas de assimilar melhor esses conceitos. Assim, dá para unir as duas coisas de uma maneira inteligente e funcional.

2- Visão de mundo e cultura organizacional

Toda empresa busca o crescimento. Esse é um dos objetivos em comum entre os mais diversos negócios hoje existentes. Para isso, muitos deles estão dispostos a abrir mão de coisas importantes. 

Algumas companhias deixam de lado até mesmo os princípios que as tornaram quem são. Tudo na tentativa de aumentar seus lucros. Para quem é empreendedor criativo, isso é um desafio e tanto. 

A visão de mundo é algo essencial para quem tem esse perfil. Então, o desafio não está em abdicar disso, muito pelo contrário. O ideal é aprender a equilibrar as coisas. 

Visão e lucro são importantes. Desse modo, é necessário encontrar uma maneira de fazer esses dois andarem juntos dentro do empreendedorismo criativo

3- Não saber cobrar

Esse é um dos maiores desafios dessa lista. Quem atua como empreendedor criativo tem muita dificuldade no processo de precificação. Isso é uma consequência de como o trabalho artístico e de criação foi visto durante muito tempo. 

Sendo assim, colocar um preço justo nos seus produtos ou serviços hoje pode ser sim uma dificuldade. A melhor forma de resolver essa questão é tendo noção do quão valioso é seu trabalho.

Uma área não cresceria tanto se ela não fosse valiosa, não é mesmo? Com isso, não tenha medo de cobrar. A prática e o tempo de atuação vão tornando tudo isso mais fácil.

4- Trabalho precarizado

A criatividade e o meio artístico como um todo geralmente são associados à precariedade. Como é algo quase que cultural, é muito difícil se livrar dessas amarras. É por isso que muitos se acostumam a trabalhar dentro dessa realidade. 

No entanto, um empreendedor não deve se render a isso. Entenda que aceitar esse cenário é o primeiro passo para sua carreira não dar certo.  Perceba que o quarto desafio está muito interligado ao terceiro.  

Logo, a solução é aprender a valorizar seu trabalho, produto ou serviço. A criatividade é um dos elementos mais importantes atualmente. Dessa forma, não a trate de outra maneira.

5- Vender de forma natural

Para o empreendedorismo tradicional, vender é algo simples e natural. Porém, quando se fala da vertente criativa, as coisas ficam um tanto mais complicadas. Mais uma vez o pensamento ultrapassado com relação a arte entra no jogo. 

Muitos acreditam que quando alguém trabalha com criatividade, ela não pode vender seu trabalho. A aquisição nesse caso teria que vir praticamente sozinha da parte do cliente. Entretanto, isso está longe de ser verdade. 

Existem várias formas de fazer o processo de vendas parte do seu trabalho dentro do empreendedorismo criativo. Além disso, é possível integrar isso à sua estratégia de marketing.

Lembre-se que uma coisa precisa da outra. Desse modo, não tenha medo de fazer essa combinação. Acredite, ela vai levar seu negócio para outro patamar.

Foto por Freepik

6- Manter o foco sempre

Por último, mas não menos importante, temos o foco. Pessoas que trabalham diariamente com criatividade pensam muito o tempo todo. Assim, a sua mente está sempre buscando coisas novas e maneiras de finalizar determinado projeto. 

Com isso, é muito fácil que uma coisa se sobreponha à outra. Tudo vai virar uma bola de neve, de modo que organizar as ideias se torna um desafio e tanto. Agora, felizmente, existem alguns truques que ajudam os profissionais dessa área a manter o foco. 

A esquematização de ideias é sempre uma alternativa interessante. Não hesite em colocar em um papel tudo o que pensa. Além disso, use a tecnologia a seu favor. 

Escolha um bom aplicativo de organização e registre o passo a passo dos projetos em que está trabalhando. Ainda, caso esteja pensando em começar nesse ramo, já saiba que organização é tudo. Portanto, coloque essas dicas em prática.

Quais as características de um empreendedor criativo?

Empreendedorismo Criativo e suas características

Cada profissional tem suas particularidades, isso é fato. Porém, quando se fala de empreendedorismo criativo, algumas características se repetem. Veja nos próximos tópicos, o que você precisa ter para se dar bem nesse ramo.

1- Estar pronto para colocar a mão na massa

Disposição é algo que não pode faltar jamais. As ideias vêm com muita rapidez e você deve estar sempre pronto para executar um projeto. O legal de se trabalhar com criatividade é exatamente isso, colocar a mão na massa. Construir o seu próprio produto ou serviço.

2- Gostar de aprender

Uma outra característica fundamental. A área criativa é cheia de conceitos, técnicas, entre outros. Desse modo, é muito importante gostar de aprender coisas novas. Assim, você consegue se reinventar e sempre levar seu negócio a ascensão. 

3- Ter gosto pelo estudo e sempre se manter atualizado

Sem estudo, pode ter certeza de que aqui você não vai conseguir se estabelecer. Como dito acima, esse ramo tem muita coisa para se aprender. Logo, é necessário se manter atualizado. Não pode deixar que suas criações tenham um padrão ultrapassado.

4- Ter espírito de liderança

Na maioria das vezes, você será responsável por conduzir um trabalho. Assim, imagine o seguinte cenário. Um determinado projeto foi elaborado. Você pensou em tudo, no entanto, vai precisar de ajuda para executá-lo. 

É aí que entra o espírito de liderança. Saber conduzir as coisas e trabalhar com a criatividade de outras pessoas também é uma característica essencial.

5- Gostar de ouvir opiniões diferentes

No ramo criativo, nem sempre se quer “mais do mesmo”. Dessa forma, você deve estar sempre aberto para escutar opiniões e ideias diferentes da sua. 

O legal é levar as diferenças como uma maneira de otimizar seu trabalho. Quem sabe ouvir algo que não se tinha pensado antes não pode dar uma repaginada no seu projeto?

6- Ser proativo

Basicamente um complemento da primeira característica. Quem trabalha com criatividade sempre vai ter que ser proativo. Afinal, o seu projeto precisa da sua mente e mãos para ser executado.

7- Gostar de desafios

Usar a criatividade é encontrar soluções novas e interessantes. Por isso, esse ramo já é desafiador por si só. Então, se você gosta de encarar coisas novas, essa área é simplesmente perfeita.

8- Ter foco e organização

Lembra dos desafios do empreendedorismo criativo? O foco é um deles. Portanto, você precisa encontrar maneiras de se organizar dentro dessa área. São muitos elementos para serem trabalhados que precisam estar em sintonia.

9- Entender a importância da cooperação

Trabalho em equipe é essencial. Dificilmente você vai atuar em um projeto grande sozinho. Então, além do espírito de liderança, é necessário aceitar ajuda. A cooperação é o que faz algo grande ser ainda maior.

Foto por Freepik

10- Ser persistente e otimista

Esse ramo de trabalho não é fácil. São muitos obstáculos que precisam ser enfrentados diariamente. Por isso, persistência e otimismo são valores que todo profissional criativo precisa ter.

11- Saber reconhecer erros e sempre buscar por melhorias

É errando que se aprende. Isso é verdade em tudo que se faz, principalmente quando se trabalha com criatividade. Nem sempre um projeto vai ficar legal ou vai agradar um cliente. Portanto, é interessante saber ouvir e dar um passo para trás quando necessário.

12- Ser engajado

Você já deve ter percebido que proatividade, trabalho em equipe, liderança são coisas muito importantes. Tudo isso pode ser resumido em ser engajado. 

Um profissional que atua no ramo de criatividade precisa saber se comunicar com outras pessoas. É daí que surgem as melhores ideias e parcerias.

Vagas na economia criativa: precisa-se de profissionais capacitados

Crescimento de vagas na Economia Criativa

A pandemia de COVID-19 impactou também este setor. No entanto, ele vem conseguindo se reerguer com mais rapidez do que os outros. Assim, hoje tem-se uma demanda de profissionais criativos muito grande.

Diversas áreas são requisitadas. Cada vez mais as empresas querem pessoas capazes de criar produtos/serviços personalizados para seus consumidores. A edição de 2019 do Mapeamento da Indústria Criativa no Brasil traz um dado bem interessante.

De acordo com ela, o mercado abriu mais de 24 mil vagas para profissionais com esse perfil. Logo, quem trabalha com criatividade está tendo cada vez mais espaço para crescer. Veja só algumas oportunidades divulgadas.

  •  Analista de pesquisa de mercado: demanda cresceu em 42%;
  • Designer gráfico: oportunidades cresceram cerca de 4,9%;
  • Programador: demanda aumentou em 3,3%;
  • Gerente de TI: demanda aumentou em 1,4%;
  •  Designer de produtos: vagas aumentaram em mais de 10%;
  • Editor de mídia eletrônica: a demanda cresceu cerca de 20%.

Perceba que essas profissões já eram bastante requisitadas. Com a mudança na economia, as vagas aumentaram ainda mais. Dito isso, tem-se um dilema. Hoje, existem mais oportunidades do que profissionais qualificados. 

Portanto, migrar para essa área é sim um passo muito promissor. O mercado anseia por pessoas que trabalhem com empreendedorismo criativo.

Salários na economia criativa: quanto ganha um profissional no setor em 2021?

Salários do empreendedorismo criativo

Quando se fala de salários, tem-se uma grande variação. Isso porque a economia criativa abrange diversos profissionais. Então, tem-se designers, escritores e por aí vai. Desse modo, confira uma média salarial das áreas que foram citadas no tópico anterior.

  • Analista de pesquisa de mercado: entre R$ 4.000,00 e R$ 4.100,00 por mês;
  • Designer gráfico: entre R$ 2.000,00 e R$ 2.500,00 por mês;
  • Programador: entre R$ 2.700,00 e R$ 3.000,00 por mês;
  • Gerente de TI: entre R$ 15.000,00 e R$ 20.000,00 por mês;
  • Designer de produtos: entre R$ 3.000,00 e R$ 3.500,00 por mês;
  • Editor de mídia eletrônica: entre R$ 2.500,00 e R$ 5.000,00 por mês.

Note que cada área possui um esquema salarial diferente. De modo geral, são valores bem interessantes. Inclusive, você pode ganhar muito mais. Lembre-se que essa é apenas uma média. 

Empreendedorismo feminino: o crescimento e a importância das mulheres no setor

Felizmente, as mulheres estão conquistando cada vez mais espaço no mercado de trabalho. Falando da área criativa, a lógica segue a mesma. Os números podem provar esse crescimento. Os dados do SEBRAE mostram que as mulheres estão à frente de 34% dos negócios atuais. 

Além disso, 45% são empreendedoras e chefes de domicílio ao mesmo tempo. No total, o Brasil conta com 24 milhões de mulheres trabalhando no seu próprio negócio. Isso comparado aos dados de 2014, revela um aumento de 200% no número de empreendedoras brasileiras. 

O ramo da economia criativa precisa muito dessas mulheres. Assim, elas são capazes de dar uma visão diferente e inovadora na construção de produtos e serviços. 

Lembre-se que mais acima falamos que a demanda nessa área só cresce. Logo, com esses profissionais qualificados, tais vagas podem ser preenchidas.

Como ser um empreendedor criativo?

Como ser um empreendedor criativo

Trabalhar com empreendedorismo criativo não é simples. No entanto, o esforço é sempre recompensador. Acompanhe 3 dicas que vão te ajudar a atuar nesse ramo de forma bem-sucedida.

1- Anote tudo

Não confie 100% na sua memória. Crie o hábito de anotar tudo que possa lhe inspirar. Então, sejam estratégias de criação ou vendas, não importa. Seus rabiscos podem resultar em uma ideia de um projeto sensacional.

2- Crie seu próprio estoque de ideias

Nem sempre a inspiração vem naturalmente. Por isso, quando ela está presente, faça um estoque de ideias. Assim, nunca vai ficar sem opções de criação.

3- Aprenda a ver e ouvir com atenção

Bem no começo do artigo, mostramos a definição de Joseph Schumpeter sobre o que é ser empreendedor. Desse modo, ele fala que esse perfil tem a capacidade de organizar informações. 

Por isso é importante anotar, criar e ouvir. Tais ações permitem que você enxergue o mundo ao seu redor de maneira única e inteligente.

Como aprender sobre empreendedorismo criativo?

Não existe apenas um único caminho para aprender sobre essa área. Sendo assim, você pode escolher a melhor forma de assimilar os conceitos. Uma dica é procurar cursos no ramo. 

Hoje existem diversas plataformas online que te permitem aprender sem sequer sair de casa. Além disso, você pode investir em livros sobre o assunto. Mais para frente vamos te indicar alguns bem interessantes. O mais legal de tudo é a imensidão de alternativas.

Então, você pode acompanhar vídeos no YouTube, podcasts, entre outros. Quem escolhe como quer estudar é você. Nenhuma opção é melhor do que a outra. Logo, o importante é não ficar parado (a) e entrar nesse ramo com tudo.

Cursos de empreendedorismo criativo

Cursos são ótimas formas de aprender algo novo rápido e do jeito certo. Dessa forma, se você quer ingressar na Economia Criativa, começar com um bom curso fará sua vida muito mais fácil.

Pensando nisso, aqui na Aldeia criamos diversos cursos para te ajudar a ser o profissional mais desejado do mercado.

Entretanto, não fazemos cursos longos e chatos. Usamos o formato bootcamp que é um intensivão de até 20 horas de puro conteúdo com os melhores profissionais.

Dessa forma, você aprende direto da fonte, sem enrolação e no seu ritmo. Por isso, não perca tempo e conheça as dezenas de cursos disponíveis e se inscreva hoje mesmo!

Cursos Online Aldeia

Livros sobre empreendedorismo e economia criativa

Dicas de livros sobre empreendedorismo criativo

Para te ajudar a ficar ainda mais por dentro dessa área, confira alguns livros abaixo. Eles são muito ricos em informação e elaborados por grandes autores que entendem muito bem do assunto.

1- Empreendedorismo Para Subversivos – Facundo Guerra

Nesse livro, Facundo vai contar sua trajetória profissional. Isso até o momento em que ele decide que é hora de largar tudo e começar seu próprio negócio. O interessante dessa obra é que o autor vai sempre ressaltando seus erros e acertos. 

Além disso, ele disponibiliza um guia completo com dicas para quem busca se tornar profissional nesse ramo. Esse livro vai te ajudar a compreender como unir o empreendedorismo tradicional ao empreendedorismo criativo.

2- Economia criativa: Fonte de Novos Empregos – Victor Mirshawka

Aqui estamos falando de uma coleção de livros que vale muito a pena conferir. Victor traz um panorama dos diversos setores do empreendedorismo criativo. Ainda, ele discute sobre como a tecnologia influencia esse mercado profissional. 

A ideia principal do autor é falar mais sobre os novos empregos que surgem com essa área. Também, ele busca entender o processo de adaptação a essa nova economia. Então, cada livro vai trazer um tópico específico que será devidamente discutido.

3- O Caminho do Artista – Julia Cameron

Essa é uma obra que emana inspiração. A autora aqui aborda mais a criatividade em si. Com ela, você vai aprender a soltar mais suas ideias. O livro funciona em formato de curso e conta com diversos exercícios.

É ideal para superar os bloqueios criativos. Portanto, é uma leitura que vale muito a pena. Uma dica é ler esse livro combinado com outro que fale mais sobre o empreendedorismo em si. 

Aí é possível unir os dois conceitos. Ou então, você pode ler todos os livros aqui citados, não é mesmo?

4- Economia Criativa: Como Ganhar Dinheiro com Ideias Criativas – John Howkins

Já citamos esse autor bem no começo do artigo. Portanto, ele não podia deixar de marcar presença nessa lista. John é especialista no assunto. Desse modo, é uma das principais pessoas com quem você pode aprender sobre economia criativa.

Neste livro, ele fala sobre criatividade e como ela é vista em um aspecto global. Logo, é uma excelente alternativa para quem quer entender mais sobre esse mercado. Ainda, o autor dita algumas normas que todo empreendedor criativo precisa seguir.

5- A Ascensão da Classe Criativa – Richard Florida

Richard é um urbanista que resolve discutir o surgimento de uma nova classe social no mercado de trabalho. Os profissionais que atuam com criatividade estão remodelando a economia e tudo à sua volta.

O autor mostra tabelas e dados que comprovam a importância desse ramo de atuação. Assim, esse livro é ótimo para compreender o quão avassalador é o empreendedorismo criativo.

Eventos sobre liderança e gestão de pessoas em 2021

Business video call on laptop Free Photo
Foto por Freepik.

O ano de 2021 ainda está passando pela pandemia de Covid-19. Por isso, encontros presenciais não são uma alternativa interessante. No entanto, isso não será um obstáculo para quem quer aprender. 

Diversos eventos estão sendo disponibilizados virtualmente. Assim, você pode acompanhar tudo sem sair de casa. Agora, veja 2 encontros que valem muito a pena participar.

7º Congresso Brasileiro de Liderança & Inovação

O evento está marcado para o dia 25 de setembro. Ele conta com a participação de figuras ilustres do empreendedorismo. São elas: Cláudio Duarte, Daniel Godri, Alfredo Rocha, Luis Rasquilha, Max Gehringer e Erika Linhares. 

O congresso promete te ensinar os seguintes aspectos. 

  • Liderar com inspiração;
  • Inovar por meio de pessoas, estratégias e processos;
  • Criar estratégias de negócio;
  •  Entender empresas e o mundo do futuro;
  • Comprometer sua equipe com seu negócio;
  • Desmistificar a liderança e a inovação.

Liderando pessoas com foco em resultados

Esse encontro vai acontecer no dia 27 de novembro. Ele conta com a presença de Augusto Cury, João Kepler, Eduardo Tevah, Prof. Luiz Marins e Max Gehringer. Nesse evento, você vai aprender as seguintes coisas:

  • Como inspirar seu time a trabalhar em conjunto pela empresa;
  • Como desenvolver estratégias inovadoras;
  • Como otimizar a gestão de pessoas;
  • Como engajar sua equipe;
  • Como inovar os processos e as estratégias do seu negócio.

Perceba que são eventos voltados para quem é autônomo. Mesmo assim, os conceitos passados podem muito bem se aplicar a quem quer trabalhar em uma companhia. Por isso, não deixe de conferir essas alternativas de aprendizado.

Principais comunidades e grupos sobre liderança e gestão de pessoas

Hoje com a internet é possível encontrar diversos grupos que abordam esse assunto. Eles funcionam como uma rede de apoio e de troca muito importante. 

Quem busca entrar no ramo da economia criativa, liderança e gestão de pessoas tem boas oportunidades para aproveitar. Confira abaixo, duas alternativas 

Comunidade SEBRAE

Essa opção abraça o real significado de network. O intuito da Comunidade SEBRAE é conectar empresários de micro e pequenas empresas. Tudo isso através de conteúdo para auxiliar no seu desenvolvimento como líderes.

Comissão de Estudos da Legislação em Empreendedorismo Criativo e Startups

Ela foi criada em novembro de 2017. Assim, seu principal objetivo é debater temas jurídicos que envolvem a economia criativa. Além disso, a comissão também tem enfoque nas Startups.  Então, se você quiser orientação profissional, eles podem te ajudar.

Há também grupos nas redes sociais, como:

Enfim, como comentei, o empreendedor criativo precisa ser proativo. Por isso, use essas dicas e informações que acabei de te apresentar para moldar um novo futuro para ti!

Além disso, outra característica de um profissional do empreendedorismo criativo é estar sempre atualizado e ter gosto pelo estudo. Assim, não deixe de se inscrever na nossa newsletter, onde te atualizamos sobre todas as novidades na Nova Economia!

Para dar seus primeiros passos e se especializar, confira as dezenas de cursos que a Aldeia criou para você!

Cursos Online Aldeia

Related Articles

O que é polímata?

De origem grega, polímata é aquele que aprendeu muito de várias áreas. Nós, da Polímatas, acreditamos que empreendedores devem ser polímatas.