Business Intelligence: guia completo para se tornar um analista BI

Talvez você já tenha lido que a profissão de analista de Business Intelligence é uma das mais requisitadas para o futuro. A verdade é que essa não é mais uma profissão que ganhará destaque daqui a alguns anos, pois o uso de BI nas empresas já é a realidade atual do mercado.

A demanda por profissionais especializados em inteligência empresarial cresce cada vez mais. Ela é uma profissão do presente e terá vida muito longa daqui para frente.

Aliás, uma projeção feita pela ReportLinker estima que o mercado Global de Business Intelligence chegue a movimentar 33,3 bilhões de dólares em 2025. Atualmente, o valor está na casa dos 23,1 bilhões de dólares. 

Entre os principais fatores para este salto estão o crescimento de investimento em análises de dados, aumento da demanda por painéis de visualização e aumento na utilização de nuvens para armazenar dados.

Apesar de o mercado necessitar de profissionais especialista em BI, é comum as pessoas não saberem o que faz um analista BI. Aqui neste texto, vamos tirar todas as suas dúvidas sobre o Business Intelligence e a profissão de analista de BI.

Navegue pelo conteúdo:

Business Intelligence: o que é?

O que é Business Intelligence
Foto por Freepik.

Ao mesmo tempo que pode haver uma certa complexidade na execução da Business Intelligence, entender o seu conceito e para o que ela serve é simples. A tradução literal do termo para o português é Inteligência de Negócios ou Inteligência Empresarial. Portanto, a BI é uma ferramenta que deixa a gestão empresarial mais eficiente através da análise de dados.

Dessa forma, antes de pensar no mundo dos negócios, vamos a um exemplo prático que ajudará a entender melhor qual o propósito da BI:

Na sua família há despesas e o salário recebido pelos membros dela. Contudo, um gasto isolado não representa muito.

Bem como o valor do salário pouco significa fora de um contexto maior. Então, somando todos os custos e a renda, você consegue entender os hábitos da família.

Do mesmo modo, o foco da Business Intelligence é essa gestão de dados para criar um quadro sobre as diversas áreas de uma empresa . Assim, é uma maneira eficiente de dar significado a dados dentro de uma companhia.

Estrutura de Business Intelligence

Portanto, o objetivo da BI é aglutinar e cruzar dados que ajudarão a traçar um planejamento, dando maior eficiência ao negócio. Aliás, como definiu William Edwards Deming: “sem dados, você é apenas uma pessoa qualquer com uma opinião”.  

Do número à tomada de decisão

Um dado isolado é apenas um número. Vários dados isolados são apenas números dispersos e com pouco significado. Contudo, dentro de um contexto, esses números se transformam em informação. Então, o cruzamento de informações vira conhecimento. A partir do conhecimento, o gestor passa a ter subsídios que facilitarão a sua tomada de decisão.

Nesse sentido, são dois os objetivos finais da BI ou de um analista de BI:

  • Coletar dados e ajudar na análise deles;
  • Ajudar o gestor, a partir da análise, na tomada de decisão.

De tal modo, a Business Intelligence pode ser vista como um ímã que junta e verifica dados de diferentes áreas da empresa. Assim, qualquer setor pode se beneficiar da análise de dados, indo da parte operacional, passando pelo marketing e financeiro.

Ademais, essa busca incessante por dados e transformá-los em informação tem uma razão, “O que pode ser medido pode ser melhorado”, como explica o consultor Peter Drucker, uma das referências da área de gestão. Essa é a função do BI, medir para melhorar os resultados.

Lógico que não é tão simples como o exemplo que citamos mais acima. Em outras palavras, várias etapas precisam ser realizadas para transformar números em informação e em conhecimento.

Assim, para otimizar a análise são utilizadas diversas teorias, metodologias, processos e tecnologias. Todos esses pontos conectados transformam a BI em uma ferramenta valiosa.

Quando surgiu a Business Intelligence

De onde surgiu o BI.
Foto por Freepik.

Apesar de ser uma área de atuação moderna, a Business Intelligence pode ser considerada antiga. 

Dessa forma, desde os tempos mais antigos, as opções eram analisadas para tomada de decisão, como colheita e guerras. Era uma maneira empírica de analisar e unir dados para tomar decisões importantes. 

O termo também é antigo. Ele foi criado por Richard Millar Devens, em 1865. A primeira vez que a expressão Business Intelligence foi utilizada foi na “Cyclopaedia of Commercial and Business Anecdotes”. Assim, a utilização ocorreu para descrever o lucro de um banco baseado em algumas informações.

Mas se a utilização de uma inteligência de negócios vem de milênios e o termo tem mais de um século de vida, por que a profissão está em alta só agora? Porque vivemos a era do Big Data.

Vivemos sob uma avalanche de dados

Um estudo divulgado pelo IDC (International Data Corporation) afirma que a quantidade de informações produzidas pela humanidade dobra a cada dois anos. Ademais, a expectativa era que em 2020 fossem produzidos 350 zettabytes de dados, o equivalente a 35 trilhões de gigabytes. Aliás, o instituto estima que o universo digital tenha cerca de 500 quatrilhões de informações armazenadas.

Ademais, com um mercado em que a competitividade aumenta na mesma proporção que o surgimento de dados, saber transformá-los em informação se torna essencial para ser competitivo e vitorioso. Portanto, esse é o principal motivo para a expansão da inteligência de negócios.

Apesar de o mercado estar valorizando como nunca antes a Business Intelligence, a área ainda tem muito espaço para crescer. De acordo com artigo publicado pela revista Forbes, em 2018, apenas 15% das empresas contavam com com um diretor de dados e menos de 10% possuíam um diretor de análise nos seus quadros de funcionários. Ou seja, há muito espaço para a área crescer.

Entretanto, as maiores empresas estão atentas à importância dos analistas BI. A estimativa, segundo a Raconteur, é que 90% das maiores companhias globais já tenham um profissional da área, também reconhecido como Chief Data Officer (CDO). 

Presença do Profissional de BI

Ademais, o crescimento no salário desses profissionais foi de 23% entre 2017 e 2019, de acordo com o mesmo levantamento – falaremos mais especificamente de remuneração mais adiante.

Vemos que estamos cada vez mais gerando dados. E as empresas precisam cada vez mais de pessoas capacitadas para transformar dados em informações. Por isso que a área de BI está crescendo tanto, então fique ligado para aproveitar essa oportunidade.

Analista BI: o que faz? Como é seu dia a dia?

O que faz um analista de Business Intelligence.
Foto por Freepik.

A função de um analista de BI é transformar uma complicada rede de dados em algo que possa ser facilmente entendido. Por isso, a rotina de um analista de BI é fazer uma imersão constante em dados

Além de coletá-los é preciso dar sentido a eles. Ou seja, é preciso entender como cada um daqueles números funciona e fazer uma correlação entre eles. A partir disso, é necessário traduzir os resultados encontrados em algo que agregue valor à empresa. 

O ponto de partida está em ouvir as necessidades da empresa ou do cliente. Assim, começa a jornada de cavar os dados e extrair informações através de análises.

Entendendo o que foi pedido, buscando os dados e dando sentido a eles, a linha de chegada é saber estruturar as informações coletadas. Embora existam gráficos incríveis, o mais importante é a simplicidade para que as informações sejam entendidas com facilidade.

Assim, os resultados precisam se transformar em conhecimento para a tomada de decisões. Dessa maneira, as análises feitas pelo analista BI podem colaborar em ações estratégicas, análises de performance e financeira, gestão de estoque, etc.

Funções do analista de inteligência de negócios.

Algumas das funções executadas por um analista de BI:

  • Pesquisar, revisar, processar e validar dados;
  • Criar visualizações eficientes para os dados;
  • Alimentar a rede de dados do sistema;
  • Desenvolver processos para a coleta e análise de dados;
  • Trabalhar com a TI para implantar atualizações de software;
  • Monitorar resultados.

Ademais, as áreas que o BI é mais empregado são na análise de clientes e operações. Conforme o artigo da Forbes, a área de Customer Analytics em 2015 era onde a maioria dos profissionais de BI estavam.

Onde mais atuam os analistas BI

Quais softwares um analista BI usa?

Para fazer uma análise de dados é preciso escolher a ferramenta certa para cada situação. Por isso, o mercado oferece diversos softwares de Inteligência Empresarial. 

Nesse sentido, os dois programas mais utilizados são o Power BI da Microsoft e o Tableau. Ambos possuem uma grande variedade de ferramentas disponíveis e são muito eficientes na avaliação de uma quantidade elevada de dados. 

Assim, quem trabalha nessa profissão muitas vezes precisa recorrer a linguagens de programação para conseguir extrair e processar alguns dados. Entre as mais populares estão a Python e a R.   

Saber trabalhar com o Excel também é fundamental. Esse programa apresenta muitos recursos para a tabulação e apresentação de dados. Contudo, o Excel é utilizado em quantidades menores de dados. Afinal, quando o volume é grande, ela perde um pouco a eficiência.

A rotina de um analista BI

Rotina de um profissional de BI
Foto por Freepik.

Um analista BI é um elo entre os diversos departamentos de uma empresa. Então, os dados precisam apresentar insights para resolver problemas para os mais diversos setores de uma companhia ou necessidades do cliente. Assim, ele acaba sendo um intermediador entre os dados e o gestor. 

O cenário faz com que ele se movimente em várias áreas. Ou seja, não há limitações. Assim, toda e qualquer função que trabalhe com volume de dados podem se beneficiar da Inteligência Empresarial. Como é impossível ter algum tipo de negócio que não envolva números, as possibilidades de atuação de um analista de BI são enormes.

Além de pesquisar e aglutinar dados, a rotina de um analista BI também passa por acompanhar o desempenho da empresa. Nesse sentido, a rotina mais comum é obter dados, transformar em informação e apresentá-los em reuniões com gerentes e o alto escalão.

Mais do que um analista com trânsito em diversos setores dentro de uma empresa, o analista de BI pode ser visto como um agente transformador. Assim como constata uma pesquisa feita pela Forbes com profissionais em posição de liderança, que 85% deles acreditam que o uso do Big Data no mercado vai mudar a maneira como eles fazem negócio.

Como é o processo de análise de Business Intelligence

Como é o processo de Business Intelligence.
Foto por Freepik.

O processo de análise de dados é realizado em dois passos. A primeira etapa é ainda prévia. Nesse momento, os dados ainda não são o foco, pois é preciso criar uma estrutura para que sejam coletados com fidelidade.

O conhecimento inicial a ser construído é verificar o objeto da análise. Logo, o exame preliminar precisa avaliar as prioridades, o banco de dados (Data Warehouse ou Armazém de Dados) — se a empresa não tiver, será necessário criar um — e as demandas para se criar um foco em relação ao que será verificado.

Dessa forma, cria-se um planejamento do que será buscado, quais funcionários o processo envolverá e qual a duração desse projeto.  

A partir disso, a Business Intelligence pode começar a funcionar a todo vapor. Assim, os resultados serão avaliados pelos gestores e resultarão na tomada de decisões e na criação de estratégias para enfrentar as questões analisadas.

Etapas de Business Intelligence

Retornamos ao exemplo dos gastos de uma família citada antes.

Após algum tempo computando a entrada e saída, nota-se que em alguns meses do ano os gastos são mais elevados. Feita essa correlação entre o aumento do custo de vida em certas épocas do ano, a pergunta que surge é: quais são as variáveis que fazem aumentar os gastos? 

No caso da nossa família hipotética, é o calor. De tal maneira, sabemos que nos períodos do ano de alta temperatura, os gastos são mais elevados. Dessa maneira, avaliando mais detalhadamente os dados, percebe-se que há um maior consumo de energia elétrica devido à utilização do ar-condicionado. 

Assim, a partir de todas essas informações, será possível tomar uma decisão sobre o que fazer em relação ao aumento de gastos, como trocar o ar-condicionado por um modelo mais eficiente.  

Vagas de Business Intelligence: precisa-se de analistas capacitados

Vagas para analista BI
Foto por Freepik.

Hoje em dia, tudo que fazemos deixa um rastro e pode se transformar em dado estatístico. Assim, cada clique que damos na internet deixa uma pegada com capacidade para ser analisada. 

Assim, a soma de pequenos atos, quando analisados em conjunto, tem a capacidade de entender os comportamentos das pessoas. Entender comportamentos é essencial para que o mercado compreenda os clientes e possa gerar estratégias para atingi-los com o seu produto.

Aliás, essas informações valem ouro no mercado atual. Desse modo, o analista de BI passa a ser uma peça muito requisitada.

Ademais, um estudo desenvolvido pela IBM Quant Crunch estimou que, em 2020, 2,7 milhões de empregos envolvendo análise de dados teriam sido abertos

Ou seja, a área da Business Intelligence é uma das que possui maior demanda nesse momento. 

Embora o mercado necessite cada vez mais desse profissional, ainda não há uma grande quantidade de analistas capacitados. A consequência é que em muitos locais, e o Brasil está entre eles, existam mais vagas do que profissionais capacitados.

Nós da Aldeia temos o SPTF, uma iniciativa de mapearmos o mercado de trabalho e separar as melhores oportunidades para você. Quer encontrar seu emprego dos sonhos? Clique aqui e veja as vagas no SPTF da Aldeia!

Por isso, o analista de BI tem um dos futuros mais promissores no mercado de trabalho, tanto que a Rock Content colocou a profissão como uma das mais requisitadas para o futuro

Salários de BI: quanto ganha um analista em 2021

Salários de analista BI.
Foto por Freepik.

Saber onde garimpar dados e transformá-los em informação vem sendo muito bem remunerado pelas empresas, principalmente quando comparado à realidade de outras profissões no Brasil.

O guia salarial da Robert Half para 2021 aponta que a remuneração para quem atua com Business Intelligence deve ficar entre R$ 5,5 mil e R$ 12,5 mil.

Salários de analista BI

De forma, a média salarial de Business Intelligence, nos diferentes níveis, fica:

  • Júnior: R$ 2.500,00 mensais
  • Pleno: R$ 5.500,00 mensais
  • Senior: R$ 9.500,00 mensais

Ademais, o cenário apresentado para o futuro mostra que a tendência é que o valor do salário continue crescendo. Afinal, toda e qualquer empresa que acaba usando a Inteligência Empresarial para otimizar o seu negócio.

Aliás, a demanda por um analista BI é maior do que a oferta de profissionais no mercado. Isto é, os bons nomes da área serão cada vez mais requisitados e, consequentemente, melhor remunerados. 

Bem como constata a Catho, a área de informática é a que melhor paga os profissionais de Business Intelligence, seguida dos setores de recursos humanos, telemarketing, call center e comércio atacadista.

Principais profissionais que se tornaram Analistas BI

A área de atuação de um analista BI é muito ampla, podendo trabalhar nos mais diversos tipos de empresas que utilizam dados. Dessa forma, a amplitude faz com que profissionais de origens diferentes optem por ingressar nessa profissão em crescimento. Por isso, basta entender a área de atuação, ter familiaridade para trabalhar com um grande volume de dados e a capacidade de gerar informação a partir deles. 

É verdade que muitos profissionais desse setor são graduados em tecnologia da informação ou ciência da computação, mas o ramo também conta com pessoas oriundas das áreas de:

  • Administração;
  • Engenharia;
  • Economia;
  • Marketing; e 
  • Recursos Humanos. 

A grande gama de áreas de atuação muitas vezes confunde as pessoas e deixam elas receosas de trocarem de profissão. Esse é outro motivo para que as vagas de emprego para analistas de BI estejam em abundância. 

Como ser um Analista BI

Como ser um analista BI
Foto por Freepik.

Apesar de ser uma profissão estabelecida há algum tempo no mercado, muitos que querem trilhar o caminho da Business Intelligence ainda não sabem que rota seguir. A situação acontece porque, como vimos, a área de atuação é bastante abrangente e permite que profissionais com carreiras bastante distintas possam ingressar na função de analista BI. 

Em resumo, não há um único caminho. Assim, o profissional que trabalha em um determinado setor e começa a analisar dados para a empresa e, aos poucos, vai se especializando e a migração de carreira acaba sendo natural.

Algumas habilidades são inerentes à personalidade da pessoa. Entre elas estão a boa relação com números, ter curiosidade, resiliência e paciência. Além disso, outros pilares da formação são a familiaridade com a tecnologia e conhecimento em programação. 

Falar inglês aparece como uma habilidade necessária, pois muitos programas e conteúdos ainda não possuem tradução para o português. 

Conhecimentos necessários para crescer nessa profissão

Data Warehouse: Saber como funciona um Data Warehouse é uma das habilidades específicas mais importantes. Assim como ter conhecimento em relação a sua implementação.

Cubos OLAP: OLAP é a sigla para on-line analytical processing (processamento analítico on-line, em português). Esse processamento é formado por um conjunto de dados multidimensionais e uma ferramenta importante para todo analista BI.

Linguagens de programação: Ter o conhecimento das linguagens de programação mais utilizadas é essencial. Assim, entre as mais comuns estão Python, SQL e R.

Estatísticas: Mexer com números e analisá-los é peça-chave para todo analista BI. Aliás, boa parte das tarefas envolve a análise de métricas e de indicadores.

Dashboards: A criação de painéis informativos é a última etapa antes de apresentar os resultados da pesquisa.  Apesar das complexidades das informações, é preciso criar gráficos de fácil entendimento e que passem a mensagem desejada.

Enfim, esses são apenas alguns conteúdos necessários. Como a área de BI abrange muitos aspectos, alguns precisam de habilidades específicas. Por isso, dentro da carreira há uma quantidade variada de cargos e funções, cada um com características próprias. 

Algumas áreas estão ligadas mais a setores administrativos, outras à tecnologia, algumas à área de negócios e outras são bastante técnicas. Em suma, há espaço para especialistas e generalistas no mercado.

Como aprender Business Intelligence

Independentemente de qual forma, o importante é agregar o máximo de conhecimento possível. Por isso, para ingressar no mundo da Inteligência de Negócios será necessário fazer uma imersão para se especializar. Aliás, há diversas formas de adquirir conhecimento. 

É possível aprender sozinho, mas um curso é a melhor maneira de aprender uma habilidade muito mais rápido. Assim, realizar cursos, como os oferecidos pela Aldeia, são uma forma de dar um salto na carreira. Os programas oferecidos apresentam conteúdos essenciais que você precisa saber, em vez de teorias que não fazem parte do seu dia a dia no trabalho.

Ademais, é fundamental buscar conhecimento em várias fontes, como  YouTube, cursos, livros e palestras. A seguir, apresentamos uma lista de conteúdos que você pode consumir para se aprofundar no tema.

Como aprender Business Intelligence
Foto por Freepik.

Cursos para Analistas BI

Um analista de BI precisa ter uma série de conhecimentos como já explicamos. Portanto, é necessário saber lidar com números, formular painéis que passem a informação de maneira clara e objetiva, aprender sobre informática e suas linguagens, etc. 

Aqui na Aldeia temos o curso de Business Intelligence fundamental para você conquistar a tão sonhada vaga.

O curso online é no formato bootcamp, um intensivo que vai direto ao ponto para você crescer na profissão. São 22 horas divididas em 12 módulos. Assim. entre os temas abordados estão:

  • Principais métricas utilizadas;
  • A estruturação dos dados;
  • Como consolidar e visualizar dados;
  • Análises e funções estatísticas;
  • Como evoluir na carreira e ter o cargo que você sonha;
  • Criação de dashboards;
  • Fundamentos e tratamentos de dados;
  • Gerenciamento de processos de negócios.

Aliás, você não irá aprender com qualquer professor, você vai aprender com os melhores profissionais do mercado. É conhecimento direto da fonte e sem enrolação.  

Livros de Business Intelligence

Livros sobre Business Intelligence
Foto por Freepik.

Business Intelligence e Análise de Dados para Gestão do Negócio (Artmed)

Para quem quer ingressar no mercado de Business Intelligence este é um bom livro de entrada. Com um conteúdo riquíssimo sobre o tema, a publicação traz diversos conteúdos para quem quer aprender técnicas atuais de análise de dados e tomada de decisão. Ademais, os autores utilizam exemplos práticos para demonstrar a eficiência da profissão.

Bi2 – Business Intelligence – Modelagem e Qualidade (Elsevier)

Em Bi2 – Business Intelligence – Modelagem e Qualidade, o autor Carlos Barbieri apresenta uma visão geral sobre o mundo do Business Intelligence. É discutido duas vertentes. A primeira está direcionada à parte de negócios. A segunda apresenta exemplos de aplicação da inteligência de negócios. 

A narrativa é de fácil compreensão, facilitando o entendimento do conteúdo. Entretanto, o foco está mais voltado para os gestores da tecnologia da informação, abordando aspectos de governança e qualidade de dados.

Business Intelligence: Implementar do jeito certo e a custo zero (Casa do Código)

Este é um livro didático escrito por Ronaldo Braghitonni, diretor de informação da Sennit. O autor apresenta conceitos e os benefícios da Business Intelligence, além de abordar os desafios de quem resolve encarar a profissão. A ideia do livro é que não é preciso gastar muito para conseguir implementar um sistema eficaz.

Business Intelligence Guidebook: From Data Integration to Analytics (MK)

Fechando a lista com um livro em inglês. Rick Sherman vai dos temas mais simples aos mais complexos em Business Intelligence Guidebook: From Data Integration to Analytics. Assim como ele é chamado de guia pelo autor, ele é considerado por muitos como uma bíblia sobre o assunto. 

Acima de tudo o conteúdo é enriquecedor, apesar de sua linguagem técnica possa dificultar a leitura. Afinal, o livro se aprofunda nos conceitos. Assim, você fecha o livro com um arsenal de conhecimento sobre os sistemas de Business Intelligence. 

Perfis de Analista BI famosos que você deve seguir

Perfis de analista BI
Foto por Freepik.

Outra maneira para agregar conhecimento é acompanhar os profissionais da área. Abaixo listamos alguns analistas BI famosos para você seguir. Talvez você consiga entrar em contato com eles para aprender mais.

Rafael Dias

Profissional com mais de dez anos de experiência na análise de dados, atua no Boticário como especialista em Planejamento de Demanda, Otimização de Esforços de Marketing e CRM.

Nicole Maciel Pitelli

Formada em administração, Nicole trabalha na área de dados há quase uma década. Trabalhou em grandes companhias como Renault, HSBC, O Boticário, Petrobrás, Grupo Marista, Shell.

Stefano Draghi

Trabalha na área desde 2014. Seu foco está na  foco em implementação de softwares de BI. Atualmente trabalha na empresa de telecomunicações Vodafone Ziggo na Holanda.

André Sionek

Engenheiro de dados com passagens por HSBC Bank Brasil, Grupo Boticário, Olist e EmCasa, ele atualmente trabalha na Gousto, em Londres. 

Adrieli Baggio Jaskiw

Pós-graduada em Gestão da Qualidade e em Planejamento Estratégico, Adrieli tem 15 anos de experiência no mercado. Atualmente  atua no Grupo Boticário como é Coordenadora de Produtos Financeiros.

Albino Picado

Com MBA em BI e Especialista em Lean Manufacturing, Green Belt e Profissional Coach, Albino Picado implementou programas de melhoria contínua em multinacionais.

Kirk Borne

É cientista de dados e conselheiro executivo na Booz Allen. Em suas contas nas redes sociais há diversos artigos para você conhecer mais sobre a profissão. Aqui você pode acompanhar uma palestra dele no Ted Ex.

Hilary Mason

Hilary fundou a Fast Forward Labs e é cientista de dados residente na Accel Partners. Aliás, ela é uma das grandes influenciadoras na área de BI. 

Carlos Barbieri

Barbieri é Consultor em Governança de Dados e publicou diversos livros relacionados à Business Intelligence.

Eric Kavanagh

Kavanagh é considerado uma referência quando o assunto é Big Data. Ele é CEO no The Bloor Group. 

Ronaldo Braghitonni

CIO da Sennit, Braghitonni é uma das referências brasileiras no assunto.

Howard Dresner

Dono de uma perspectiva peculiar sobre a análise de dados e a Business Intelligence, Dresner é chefe de pesquisa na Dresner Advisory Services. 

Bernard Marr

Autor conceituado e fundador e CEO da Bernard Marr & CO., Marr é especialista no uso da inteligência de dados. 

Claudio Bonel

Bonel é professor de Análise de Dados e Storytelling e já publicou livros sobre Business Intelligence.

William McKnight

McKnight é um dos principais consultores do mundo no tema de análise de dados, inteligência artificial e Business Intelligence. Ele é presidente da McKight Consulting Group,

Vinnie Mirchandani

Especialista em Business Intelligence, inovação e inteligência artificial, Mirchandani é fundador da Deal Architect. 

Claudia Imhoff

Fundadora da Boulder BI Brain Trust, Claudia é uma palestrante bastante popular no mundo da análise de dados. A ênfase de seu trabalho está na análise de dados e na Business Intelligence. 

Eventos de Business Intelligence: não perca esses

Eventos para analistas BI.
Foto por Freepik.

Diversos eventos espalhados pelo mundo acontecem para a troca de experiência entre profissionais da área de Business Intelligence. Veja principais encontros programados para 2021 no Brasil e no mundo.

Big Data Week São Paulo

5 e 6 de março, em São Paulo – SP

A Big Data Week surgiu em 2012 e é um evento de porte internacional, sendo promovida em diversas cidades espalhadas pelo mundo. O encontro reúne profissionais ligados ao universo da tecnologia e especialistas de Big Data. Assim, a intenção é antecipar o futuro da área da gestão de dados, discutindo tendências e desafios.   

AI & Big Data Expo Global 2021

17 e 18 de março, em Londres – Inglaterra

Serão mais de 500 palestrantes e um público esperado de 9 mil pessoas. O objetivo é debater e analisar os rumos da Business Intelligence. 

2021 Real Business Intelligence Conference  

21 e 22 de setembro – Cambridge (EUA) e on line

Essa será a quinta edição do evento. O foco das palestras e painéis é apresentar estratégias de sucesso dentro do universo da Business Intelligence, análise de dados e gestão de informação. Durante o evento são apresentados inúmeros cases de sucesso. 

Big Data Brazil Experience 2021
23 de outubro, em São Paulo – SP

Esse é um dos maiores eventos na área de dados do Brasil. A intenção do encontro é capacitar os novatos e atualizar os mais experientes sobre a gestão de dados. Ao todo, são 18 palestrantes contando suas experiências e soluções na área de dados. 

Comunidades e grupos de BI: quais as principais?

Comunidades sobre Business Intelligence
Foto por Freepik.

Outra maneira importante para adquirir conhecimento é participar de comunidades que debatem a Business Intelligence.

Ingressar nesses grupos é uma oportunidade de conhecer, interagir, trocar experiências e tirar dúvidas com profissionais da área. Abaixo listamos algumas comunidades bastante populares.

Tableu

A Tableau, responsável por desenvolver um dos softwares mais utilizados pelos analistas BI, possui em seu site uma comunidade com fóruns e eventos.

BI na prática (Business Intelligence)

Esse grupo no Facebook conta com 6,5 mil participantes. O objetivo é reunir profissionais de Business Intelligence e de áreas que trabalham em consonância com ela. É um espaço para troca de ideias, principalmente para os iniciantes. O grupo está ativo desde setembro de 2013 e conta com bastante informações e postagens diárias.

Data Warehouse and Business Intelligence

Outra comunidade bastante ativa no Facebook. O grupo trata da BI e da criação de Data Warehouse (armazém de dados ou banco de dados). As conversas entre os 14 mil membros acontecem em inglês. 

Business Intelligence Brasil

Outra comunidade do Facebook em português. Ela conta com 6,1 mil membros unidos pela Business Intelligence. Um dos principais focos do grupo é o trabalho de inteligência dentro das Agências de Publicidade e Propaganda.

Business Intelligence, BI News

O mundo de BI está em constante modificação. Por isso, é preciso estar bem informado sobre as novas tendências. Por isso, esse é o foco desse grupo em língua inglesa, que conta com 2,2 mil membros.

Data Warehousing, Business Intelligence, OLAP

Aqui o foco é tudo que envolve dados. Profissionais de diversas áreas que trabalham com a análise de dados se reúnem para debater ideias e estratégias. São 6,8 mil membros. Aliás, a comunidade é em língua inglesa.

Está pronto para começar sua carreira no Business Intelligence?!

Enfim, ficou ansioso para começar sua jornada dentro do mundo do BI? Então, comece pelo curso de Business Intelligence da Aldeia. Você irá aprender com os profissionais mais fodas do mercado, de forma online e mão na massa, nada de aulas maçantes.

Para você se inscrever e ter esse curso que faz os olhos de qualquer recrutador brilhar: clique aqui!

Curso de Business Intelligence

Ademais, para te ajudar a iniciar na carreira, temos oportunidades de empregos disponíveis nas melhores empresas. Entre no nosso espaço SPTF e conheça!

Quer estar sempre atualizado com o que está acontecendo no mercado? Então, não esqueça de se inscrever em nossa newsletter para receber os melhores conteúdos gratuitos.

Related Articles

Responses